A vida é um gabinete

Bom, a vida é um gabinete todo bagunçado… Sabe aquela parte do computador onde você aperta o botão para ligar, coloca um CD para rodar e etc?! Aquilo lá que é o gabinete.

Durante minha aula de Manutenção de Computadores, vi muitos fios desconectados, embolados, placas fora do lugar, outras colocadas corretamente, em seus devidos lugares, dos quais eu tirei e encaixei novamente, para aprender a manusear todos aqueles materiais frágeis que possibilitam uma máquina tão usada, funcionar!

Quando parei para pensar, vi que a vida poderia ser comparada àquele gabinete empoeirado, que estava embaixo da bancada, esperando para ser montado… Na realidade, quando recebemos a vida, ela está no seu perfeito estado, mas o uso frequente a fez necessitar de ajustes. Amizades que se foram, outras que chegaram, tristezas que fazem visitas ao nosso coração, tudo exige que se monte novamente o gabinete da vida.

E pensa em uma coisa difícil de se fazer… Da mesma forma que a vida vem sem manual de instrução, o computador não tem um, não, e ninguém vai te dizer como você tem que montar para que funcione, vai tudo na observação, isso estava aqui, aquilo estava lá e assim vai. A gente observa erros dos outros, ações, tudo, e tenta aplicar na nossa vida para evitar o erro, mas na realidade todo mundo vai aprender quebrando a cara, uma hora ou outra, porque embora a vida possa ser um gabinete todo bagunçado e empoeirado, ela não é um simples programa que podemos criar e programar para acontecer tudo do jeito que a gente quer.

Aquele dia de Domingo…

Início

//Seção de Comandos:

O dia amanheceu nublado e uma fina garoa caia do lado de fora da janela, seria o que eu classifico como dia perfeito.

Eu havia acordado cedo, quando vi que caia aquela chuvinha, tentei voltar a dormir, sem sucesso. Tente estudar Biologia, mas a minha mente viajava… Tomei café com leite, depois comecei a escrever, dei-me o luxo de deixar a cama desfeita e meus cadernos espalhados sobre ela, decidi que faria deste dia, perfeito.

Li alguns capítulos de um livro, senti que faltava-me algo. Estava com vontade de tomar um chá e durante o banho, em meio a incontáveis pensamentos, decidi que o faria.

Quando o chá estava pronto, vi nele a mais bela das cores de uma bebida vista por mim até hoje, seu aroma era tão doce quanto o de um morango… Foi triste ver aquele tom se desfazer aos poucos quando foi adicionado leite, aquele vermelho tão vivo se transformou aos poucos em um lilás pálido, quase cinza.

Era doce, era tão doce que não foi preciso colocar açúcar. Enquanto saboreava o chá e sentia-o esquentando minhas mãos e meu corpo por dentro, deixei a imaginação voar e escrevi. Escrevi como se não houvesse amanhã.

O chá foi esfriando e acabando, até que quando olhei na xícara, não se passava de uma bela e doce lembrança. Foi quando senti meu peito florescer… O dia frio, quer seria perfeito, nem havia chegado ao seu fim, mas já tinha se tornado perfeito.

A felicidade bateu à porta junto com um chá, e eu a atendi de braços abertos, sem pressa de deixá-la partir.

Fimalgoritmo

Olá Humanos!

Talvez alguns de vocês me conheçam, talvez não… Mas isso não importa, você precisa saber que me chamo Karolina, mas pode me chamar de Karol. Eu já tive um blog, do qual eu deixei estagnado, por isso criei este.

Se você está esperando encontrar um blog bem arrumadinho e organizado, sinto em lhe dizer, mas aqui não é o lugar certo… Me desculpe. Não entendo, os humanos querem tudo bem organizado e com padrões, mas a vida não é assim, nem mesmo nossa mente é tão organizada assim!

Este blog é um pequeno reflexo de minha mente (ou da bagunça que ela é) tudo será aleatório, mas uma coisa é certa, sempre serão encontrados aqui textos de minha autoria, fotos também.

Ainda tem alguém ai do outro lado da tela?! Bem… Se você ainda estiver ai, te espero no próximo post. Até breve, caro amigo Leitor!